Conversas de chuveiro com Lucia Hsu, fundadora e diretora criativa da Cosmo Swim

 

Rio de Janeiro, junho de 2019.

ATIVIDADES FÍSICAS E MOTIVAÇÃO

"Sempre pratiquei esportes quando nova, mas aos vinte e poucos anos relaxei porque pensava que já tinha cumprido a cota. Fingia que ia na academia, faltava. Era magra, não achava que precisava. Foi quando me mudei com o Kenny [marido], que resolvi voltar a me exercitar. Comecei a seguir blogueiras fitness e procurar uma atividade que eu gostasse. Fiz uma aula de experimental de Muay Thay na Body Tech e a partir daí viciei. Ganhei outro pique. Me sentia no meu auge.

Um dia, o professor me deu o toque de que, se eu quisesse realmente continuar na aula, precisava começar também a malhar pra ganhar força. Comecei a fazer musculação e virei nerd. Sou assim, quando resolvo fazer uma coisa, é pra valer! A questão é que se as blogueiras não falam sobre equilíbrio, você entra numas de que precisa fazer igual a elas, que praticamente vivem de malhar. Fiquei um tempão me obrigando a passar horas na academia, mesmo com pouco tempo livre, até começar a pegar mais leve. Hoje vou de segunda à sexta, intercalando Muay Thay, musculação e funcional.

Minha motivação pra sair de casa é o próprio resultado da atividade física. Exercícios me ajudam a ter equilíbrio emocional, fora poder carregar minhas malas, minhas sacolas de biquínis [da sua marca Cosmo Swim] sem precisar pedir ajuda. Lembro de ir à praia, descer uma pedra, e pra subir de volta era um inferno, passava mal, sabe? Não quero mais isso. Quero pensar que vou envelhecer e ser independente. Minha dica pra quem diz que não consegue se comprometer com exercícios é: apenas foca nos benefícios e vai!  

ALIMENTAÇÃO E VITAMINAS

Apesar de ter sido uma criança ativa, minha alimentação era bem ruim. Cresci comendo bolo de chocolate no café da manhã, miojo antes de ir pra aula, arroz com feijão e linguiça [risos]. Tinha um paladar bem limitado. Foi só quando casei que comecei a entender que eu não tinha como continuar comendo o que eu comia na casa dos meus pais. Um pouco depois de voltar a praticar esportes, fui a uma nutricionista pela primeira vez, e isso foi um divisor de águas. Antes achava que, se estava malhando podia comer mal porque compensava depois, sabe assim? Mas logo vi que não, que na verdade as coisas andam juntas. 

Aprendi lições que nunca tinha pensado antes. A hora de comer cada coisa, o valor de cada comida. Saber que se vou fazer musculação, preciso comer algo que vai me dar energia, mas sem me deixar entupida. Uma banana por exemplo, em vez de pão com presunto, que era o que eu comia antes. Outra: cuidar pra não deixar faltar comidas saudáveis em casa. Sempre tenho à mão frutas, legumes, minhas torradas de pão sem glúten Bem Nutrir, queijo cottage Verde Campo, leite de côco com castanha de caju da d`A Tal da Castanha, que uso pra fazer mingau e capuccino vegano e cookies de chocolate do Market Ipanema pra quando bate a vontade de doces. E se tiver que comer uma porcaria, vou numa lanchonete e como uma porcaria pontual! Melhor. 

Também não fico muito tempo sem comer porque isso me deixa desanimada. E claro, saber que você tem que ter seus prazeres. Quando estou viajando, como sem culpa as coisas que sei que só tem naquele lugar. Mas também tento não aloprar, não dou esse mole. Aprendi isso em 2014 quando viajamos pro casamento de uma amiga na Itália. Foram 15 dias literalmente só de pão, massa, frutos do mar e vinho. Delícia né. Mas meu organismo não aguentou tantos dias seguidos só disso, e no fim eu não conseguia fechar os jeans, fiquei com prisão de ventre e um mal humor que socorro. Hoje em dia fico esperta: se vou jantar massa, pego leve no café da manhã e no almoço. Tomar probióticos como o Simfort antes de viajar também é uma salvação, ajuda muito.

Não tenho ido mais na minha primeira nutricionista, mas tem umas muito boas que minhas amigas vão e adoram. A Victoria Yamagata uma vez me recomendou a Dra. Patricia Martins, que depois indiquei pra outras amigas, e todas amaram. A Dra. Camila Estima também é ótima, preza por saúde e não vai te fazer comer peito de peru e biscoitinho industrializado cheio de sódio. Tem também os suplementos que tomo: Óleo de prímula Profem pra melhorar sintomas de menstruação, Biotina Now Nutrition que é ótima pro cabelo—mas tem que maneirar, senão dá espinha. Melatonina da CVS para ajudar a dormir, e Vitamina A Now Nutrition. A maioria quem me receitou foi o Google. Faço muito pesquisa com pessoas que usam e monto meu menú. No começo eu comprava muito no iHerb quando não tinha que pagar taxas. Agora reponho quando eu ou alguém vai viajar. 

Os esportes e a alimentação, além de melhorarem minha vida como um todo, me fizeram entender que realmente existem males de saúde que não se resolvem com remédio. Se está com dor no ombro, vê com o médico se uma musculação não ajuda, antes de operar. Em vez de tomar remédio forte pra tudo, tenta ingerir mais vitaminas e nutrientes. Unha fraca, queda de cabelo? Provavelmente é falta de alguma coisa. 

SAÚDE MENTAL

Junto com minha jornada dos exercícios e da alimentação, teve a jornada mental e espiritual. Um pacote mesmo, sabe. No começo eu não dava importância pra essa parte, achava que estar saudável era uma questão corporal só. E não percebia que era possível sua alma precisar de ajuda também. Às vezes você não consegue enxergar isso sozinha, precisa que alguém te mostre. E foi fazendo análise que percebi minha necessidade de agir em relação a isso. Escolhi seguir o caminho de uma mudança interna completa, aproveitando que estava acontecendo também meu retorno de saturno. 

Foram muitos desafios emocionais até eu perceber que precisava de apoio. Eu era uma pessoa muito negativa. A gota d`água foi quando revidei a uma tentativa de assédio na rua e sofri agressão física da pessoa. Eu vivia constantemente reativa, e acredito que isso tenha levado à essa situação, de certa forma. Nesse momento, peguei o telefone e liguei pra uma analista. Foi meu pai quem me deu o incentivo que faltava. Mas a transformação não vem da noite pro dia. É um processo lento, até porque no início você não chega sabendo o x da questão. Você chega contando problemas superficiais, e o profissional de ajuda a chegar no cerne deles. E é nesse momento que ou você foge, ou você encara. A terapia me ajudou a valorizar as coisas do presente. O famoso "é o que tem pra hoje", sabe? 

É sobre entender que somos responsáveis por como respondemos às coisas que nos acontecem e que temos o poder de tomar as rédeas da nossa própria vida. O ThetaHealing também me ajudou muito a absorver essa ideia da autorresponsabilidade. A Luana Ferreira do @naturalvibe, que eu já vinha seguindo por conta da trajetória de vida dela, começou a falar sobre a prática, e me interessei na hora. Fiz a primeira sessão em 2017 e foi incrível. É uma das técnicas de cura energética mais poderosas do mundo. É muito acolhedor, porque não se parte do princípio de que só algumas pessoas têm esse poder de cura. Falando muito resumidamente, todos nós temos uma glândula no meio da testa, que é o terceiro olho, e todos somos capazes de ativar essa glândula e trabalhar com o poder da mente através disso.

Foram diversas iniciativas de buscar cura numa época em que eu precisava mesmo de muita ajuda. Gastei muito dinheiro, mas foi útil e necessário. Tudo isso me levou a pensar também que eu tinha que descobrir o que eu queria fazer profissionalmente, porque ficar só trabalhando só na loja [de decoração, de propriedade da família de seu marido] não dava, aquilo não era minha realização. A Cosmo Swim nasceu de todos os aprendizados que eu tive ao longo do tempo. A sua missão de vida geralmente vem da sua experiência de vida, das coisas que você não teve controle na sua infância. E os desafios são contínuos. Quando abri a empresa em 2017, meu maior estresse não eram os detalhes burocráticos, as dificuldades mais comuns. Meu maior estresse era comigo mesma. O medo de dar errado. E sempre soube que a única forma de driblar isso era fazer minha parte todos os dias, não desistir, e procurar suporte nos tratamentos. 

CORPO, ROSTO E CABELOS

Minha primeira dermatologista foi a Dra. Daniela Alvarenga. Foi um momento legal, um ponto de partida. Ela me recomendava produtos que funcionavam, e junto com o fato da minha alimentação estar melhor, minha pele ficou muito boa. Depois comecei a pesquisar sobre práticas e produtos por conta própria no Into The Gloss. Você começa a querer comprar tudo que elas falam, é uma loucura. Depois descobri a rotina coreana, cheia de ingredientes diferentes, e foi muito divertido. Por muito tempo usei diversas máscaras faciais como a Máscara Peeling Glicólica da Caudalie. Atualmente, tento seguir uma rotina mais básica de cuidados com a pele. 

No banho, lavo o corpo com um gel de banho ou sabonete, e depois passo um hidratante básico como a Loção Hidratante Leve da Shower Plant—que comecei a usar antes de lançar porque recebi as amostras das fórmulas em versão teste—ou o Body Yogurt de Leite de Amêndoas da The Body Shop. Gosto de cremes que absorvem rápido e não deixam a pele melada. Outra coisa que amo passar quando o corpo está um pouco ressecado de sol é o Coconut Nourishing Dry Oil da The Body Shop

Fui uma daquelas adolescentes com bastante acne hormonal no rosto, que só melhorou passando a tomar pílula anticoncepcional. A questão é que depois de alguns anos parei com a pílula e minha pele piorou. Realmente acho que a pílula te atrapalha, confunde seus instintos. Por isso suspendi. Nesse momento passei a usar alguns produtos específicos para ajudar com a questão da acne. Também amo produtos que deixam a pele com viço e glow natural.

Minha rotina de rosto é simples. Pela manhã, lavo só com água e passo o Blemish and Age Defense da Skinceuticals ou o Concentrado de Vitamina C da Adcos e gosto de variar a terceira camada dependendo da necessidade da pele no dia: adoro o Priming Moisturizer da Glossier, mais leve, e o Lait-Crème Concentré da Embryolisse pra quando está mais frio. À noite lavo o rosto com o sabonete de ácido salicílico Actine da Darrow. Compro o frasco grande e deixo no chuveiro. E no gosto de passar cremes mais voltados para atenuação de rugas, como o coreano All in One Snail Repair Cream da Mizon, feito com ativos provenientes de lesmas. Esse comprei no Tester Korea.

Ah, dentes! Passei a procurar pastas de dente sem flúor depois de ler que flúor, apesar de ter seus benefícios, pode bloquear suas glândulas do terceiro olho. Gosto de experimentar diferentes opções. Comecei pela Pasta Dental Contente Camomila da Orgânico Natural e a que mais uso hoje é o Creme Dental Black da Pura Vida com carvão ativado. Sim, a pasta é preta. Adoro! 

Como vou muito à praia, tem alguns produtos que levo sempre na necessaire. O UV Oil Defense da Skinceuticals é básico, mas deixa o rosto um pouco branco. Então por cima dele eu passo o Filtro Solar Tonalizante Base Stick da Adcos que dá uma cor natural. Levo também um pente, óleo pro cabelo Huile Prodigiose da Nuxe, e bálsamo labial colorido Tinted Lip Balm da Burt's Bees.

Lavo meu cabelo dia sim dia não e gosto de variar os produtos. Meus preferidos são os anti-queda: Shampoo Antiqueda Kerieum da La Roche Posay e o Shampoo Fortificante da Klorane. Também amo o Green Tea Mint Fresh Shampoo da Innisfree, que deixa uma sensação de geladinho na cabeça—essa dica peguei com a Jana Rosa. Às vezes passo também um óleo de alecrim massageando o couro cabeludo pra estimular o crescimento dos fios. Gosto bastante do Óleo Essencial de Alecrim da Bioessência."

—Lucia Hsu para Shower Talks

Edição: Manuela Borges | Fotos: Kenny Hsu


postagem seguinte


  • Gustavo Pacheco em

    Inspirador para uma vida boa com saúde e equilíbrio ! Muito bom o talk.


vamos conversar?